Posts com Tag ‘Reiner Knizia’

1ª Corrida
A equipe Blue Monster Racing dominou a primeira prova do campeonato, estando na maior parte da corrida com seus dois pilotos na faixa de pontuação, e conseguiu mantê-los ali até o final, além de ficar com a primeiro colocação. Os carros da equipe Red Fury Sports foi a que mais ameaçou a liderança da equipe Blue Monster, mas nas últimas voltas, o carro 1 da equipe rodou, deixando a vitória escapar.

2ª Corrida
A segunda corrida foi um banho de sangue. A chuva e a pista apertada fez quase metade dos pilotos terminarem sua corrida nos muros. Primeiro os dois carros da equipe Purple Worm Motors acidentaram-se: um rodou e ficou pelo caminho, e o piloto 2, quando liderava a prova, forçou demais o motor e só continuou andando de guincho até os boxes. A sorte da equipe Red Fury não basicamente tão trágica: os dois pilotos da equipe vinham em sequência, preparando-se para um trabalho conjunto de avanço, quando o carro da frente derrapou e o que vinha tentou desviar mas bateu direto no companheiro – ambos os carros estavam fora! Assim, a corrida ficou entre a equipe Blue Monster e as menores, que tinham chance de brilhar e na pista onde mais vale o braço do que a potência do carro, elas conseguiram manter-se firme nas primeiras posições quase até o final, quando o piloto 1 da equipe Blue Monster, numa série de manobras estupendas, conseguiu ultrapassar vários carros e chegar em 2º lugar.

3ª Corrida
Na terceira corrida, as equipes menores continuaram dando muito trabalho. A equipe Red Fury, aproveitando-se da prova abaixo da média da equipe Blue Monster, conseguiu manejar o traçado da pista para aproveitar o melhor conjunto e balanço de seu carro para chegar em primeiro. As outras equipes grandes fizeram feio, ficando de fora do pódio, mas ao menos cada uma colocou alguém na faixa de pontuação.

4ª Corrida
Diferente da terceira corrida, a quarta foi dominada pelas equipes grandes, que aproveitaram-se bastante da pistas larga e das retas longas para usar toda a potência de seus motores. A equipe Purple Worm Motors finalmente apareceu para o campeonato colocando seus dois pilotos no pódio – demorou só quase toda a temporada, mas afinal acertaram os ajustes dos carros. A equipe Blue Monster foi a “invasora” no pódio, mantendo bem quente a disputa pelo título de pilotos e de construtores.

5ª Corrida
Na última corrida do campeonato a disputa foi feroz, com vários acidentes ocorrendo com diversas equipes – quase todas, ao final, tinham somente um piloto ainda correndo. A chuva na largada atrapalhou quase todas, mas as equipes menores arriscaram o pneu liso, enquanto as grandes foram todas com os pneus de chuva. Quando o sol abriu já na terceira volta, os pit stops das grandes deram oportunidade para as pequenas subirem. Somente a equipe Purple Worm conseguiu recuperar terreno e, apostando em uma parada só após a da troca dos pneus, saindo com um galão de gasolina até dentro do cockpit, o piloto da equipe venceu a prova. O restante do pódio foi composto pelas equipes menores, que quase nem merecerem mais tal diminutivo. A equipe Blue Monster, até perto do final, estava fora da pontuação, mas um erro numa curva permitiu à equipe marcar um pontinho – conseguindo assim, junto da equipe Yellow Sub, pontuar em todas as corridas.

FORMULA MOTOR RACING – O JOGO

Geral:
Formula Motor Racing é um jogo de corrida, do Reiner Knizia, o qual, de acordo com seu slogan, é o mais rápido jogo de corrida já feito. Tal afirmação, por mais surpreendente que pareça, não é puro marketing. Pois uma corrida é realmente rápida, durando cerca de 20 minutos. Agora, por outro lado, o Formula Motor Racing não é exatamente um jogo de corrida como entende-se usualmente, pois o jogo não vem com uma pista, e os carros ocupam posições apenas de a frente ou atrás de outros, sem efetivamente uma distância (ou seja, um primeiro lugar não pode “disparar” e não há como dar uma volta em alguém, ou mesmo enfrentar retardatários). Diferente, né? (mais…)

LADRÕES & ZERGS – A BUSCA PELO TEMA PERDIDO

Este é um jogo do Reiner Knizia. O que isso significa? Ora, usualmente significa uma mecânica apurada e tema colado em cima com cascolar, então não sacuda muito senão desgruda.

(Cortesia do Tiagoaob)

E isto se aplica aqui? Sim, não há como circunavegar isso. Poderiam ser um bando de ladrões que cercam pessoas na rua e aquele que tem mais ladrões leva o roubo – assim, quem tiver a maioria de colares, relógios e carteiras, disputa a vitória. Ou são soldados no espaço sideral combatendo alienígenas, e aqueles que cercarem os oponentes com as maiores forças os vencem – dessa forma, quem destruir mais dos zergs, dos protoss ou dos aliens disputa a vitória. E assim em diante. Claro, talvez os mesmos fossem um pouco mais difíceis de vender, e mesmo quebrassem alguns direitos autorais, mas de qualquer maneira funcionaria sem mudar basicamente uma vírgula da mecânica.
(mais…)

Ah, um jogo desenvolvido pelo Knizia, em que exploradores se esforçam para conseguir patrocínios para sua equipes que, com apoio ou sem, partem em busca das mais famosas cidades perdidas – Shangri-la, Atlântida, o Templo Inca, etc -, enfrentando doenças, nativos, perigos naturais e, quem sabe, até sobrenaturais! Afinal, o prêmio para quem encontrá-las é a fama que perdurará por séculos!…

… Hã, ok. Nem tanto. Lembra do início? É do Knizia. Mas não deixe isso interferir com sua imaginação!

Então vamos ao jogo.

O JOGO

(mais…)

Olá!

Aviso que as impressões abaixo, como dito, são as primeiras, com base em quatro partidas, todas em 4 pessoas.

O Game of Thrones: Westeros Intrigue é o cúmulo da simplicidade de regras e da total e absoluta ausência de ligação entre mecânica e tema – até eu, mais acostumado ao jeito Knizia de ser, fiquei surpreso por quão abstrato este jogo é. (mais…)

“Três no Titan.”

“Mesmo? Ouvi dizer que ele está cansado da batalha anterior. Muito esforço para superar o Wyrm, sabe?”

“Ah, sim. Foi uma bela luta aquela.”

“Acredito que o Magus é a aposta mais segura.”

“No Magus?”

“Sim. Ouvi dizer que ele tem uma carta na manga, sabe?”

“Ah.”

COLOSSAL ARENA – O JOGO

(Cortesia de Rob Robinson)

Em Colossal Arena, os jogadores assumem os papéis de apostadores/apoiadores que lutam na dita arena. A dinâmica do jogo é simples, ainda que o jogo em si não seja. (mais…)

Ra – resenha

Publicado: 10 de setembro de 2014 por Tiago Perretto em Resenha
Tags:, , ,

De pé, na margem úmida onde os caniços e os juncos dançavam à música do vento, era possível observar que o rio fluída no ritmo do povo que ele mantinha: corria rápido e amplo, fluindo para além de de seus limites, expandindo-se para cobrir a terra e trazer vida nova à onde antes havia os espaços incultos, rachados e de pouco uso.

O Nilo era o espelho e o sangue do povo egípcio, que estendia sua influência e poderio às regiões do mundo, alcançando os mares.

O rio crescia e também o fazia o império, sob a graça do Faraó, sob a proteção do Deus Sol.

 

RA – O JOGO

(Imagem por cnidius)

 

Em Ra, os participantes envolvem-se em uma série de leilões buscando acumular conjuntos de peças que permitam a eles marcar pontos quando as épocas terminam.
(mais…)